• English
  • Português

portugal-gastronomia

Conselhos Jimo – 10 Pratos Portugueses Deliciosos

Portugal é um país rico em tradição gastronómica, a sua gastronomia é soberba e proporciona momentos deliciosos. As principais especialidades resultam de uma relação muito íntima com o mar, mas também de uma relação com a terra, desde sardinhas assadas na brasa, polvo à lagareiro e caldeirada de peixe até ao cozido à portuguesa, alheiras de Mirandela e caldo verde. Portugal possui uma vasta riqueza gastronómica, e orgulhamo-nos disso. Descubra 10 desses pratos, que agora lhe sugerimos:

 

Bolinhos de Bacalhau

A primeira receita oficial do bolinho de bacalhau data de 1904, em um livro chamado Tratado de Cozinha e Copa, de Carlos Bandeira de Melo, um oficial do exército português que usava o pseudónimo de Carlos Bento da Maia. A obra de Carlos Melo entraria para a história como a primeira a apresentar uma receita do prato. Um verdadeiro estandarte da cozinha portuguesa, o bacalhau pode, por exemplo, ser desfiado para formar uma espécie de bolinhos de peixe. Dourados e com uma camada exterior crocante e um interior suave, estes podem ser servidos como entrada ou prato principal com vários tipos de acompanhamentos.

 

Caldeirada de Peixe

A Caldeirada de Peixe é um dos pratos típicos mais apreciados em Portugal, por ser pródigo em sabores intensos e ricos oferecidos pelos magníficos peixes e temperos que a compõem.Há vários tipos de caldeirada, várias versões até mesmo consoante a região que a prepara!É um prato cozido, não refogado e tem como componentes uma enorme e deliciosa variedade de ingredientes que a transformam numa receita única e plena.

 

Caldo Verde

Devido à sua simplicidade e leveza, come-se no início de uma refeição principal ou numa ceia tardia. Para uma degustação genuína, o caldo verde serve-se sempre em tigelas ou malgas de barro, acompanhadas de broa de milho, de centeio ou broa de Avintes e junta-se, no caldo, várias rodelas de salpicão ou de chouriço de colorau, mas, de preferência, salpicão, que o tornam ainda mais delicioso. Segundo a receita original, deve ser sempre acompanhado por bom vinho verde tinto, também servido em malgas, que é um tipo de vinho altamente compatível com esta especialidade gastronómica.

 

Bacalhau à Braz

Sendo um dos pratos mais populares confeccionados com bacalhau, consiste em desfiá-lo, juntar batata palha frita, cebola frita às rodelas finas, ovo mexido, azeitonas e salsa picada. É muito apreciado em Portugal assim como em Macau. O excelente sabor depende da relação dos componentes da receita, principalmente a quantidade de cebola em relação ao bacalhau e o azeite usado para confeccionar este prato. A receita terá sido criada por um taberneiro do Bairro Alto, em Lisboa, de seu nome Brás (ou Braz, como era uso escrever nessa época).

 

Alheiras de Mirandela

Na região de origem a norte de Portugal (Trás-os-Montes) a alheira é consumida grelhada, ou assada em lume brando, acompanhada por batata cozida com um fio de azeite, e legumes da época variados. Mais a sul o mais natural é encontrar os menus com a alheira frita, batas fritas, ovo estrelado e saladas de alface e tomate. Por vezes, é também acompanhada por grelos de couve. É uma presença habitual nas ementas dos restaurantes de todo o país.

 

Ameijoas à Bulhão Pato

Amêijoas à Bulhão Pato é um prato típico da culinária de origem da região de Estremadura. Alega-se que o nome deste petisco é um tributo ao poeta português Raimundo António de Bulhão Pato após este ter mencionado um cozinheiro nos seus escritos.É um prato muito comum em marisqueiras e cervejarias, o prato é confeccionado com amêijoas, azeite, alho, coentros, sal, pimenta e limão (este último para temperar antes de servir). Algumas receitas podem adicionar uma pequena porção de vinho branco.

As amêijoas à Bulhão Pato foram um dos candidatos finalistas às 7 Maravilhas da Gastronomia portuguesa.

 

Cozido à Portuguesa

Trata-se de uma iguaria composta por uma miríade de vegetais, carnes e enchidos cozidos.No que diz respeito aos vegetais, podem ser cozidos feijões, batatas, cenouras, nabos, couves e arroz. Nas carnes, é possível ter o frango, entrecosto de porco, entremeada de porco, orelha de porco, chispe de porco e carne de bovino de diversas partes. Nos enchidos, são típicos o chouriço de carne, a farinheira, a morcela e o chouriço. Todos estes ingredientes compõem um prato muito forte, ideal para o tempo frio do Inverno, que deverá ser acompanhado com um copo de um belo vinho tinto.

A forma de preparar e a combinação de ingredientes variam um pouco de região para região, apesar de ser um prato que é possível encontrar por todo o país.

 

Francesinha

Uma das teorias sobre a origem do prato remonta-o ao contexto da Guerra Peninsular, afirmando que as tropas napoleónicas costumavam comer umas sandes de pão de forma, onde colocavam toda a espécie de carnes e muito queijo. À época, no entretanto, não incluía um complemento que os portuenses passaram acrescentar – o molho.

Actualmente parece haver alguma unanimidade em atribuir os créditos da criação do prato a Daniel David Silva, empregado do restaurante A Regaleira na década de 1950. Tendo trabalhado em França, ao retornar a Portugal Daniel Silva criou a francesinha com base na tosta francesa, o “croque-monsieur“, e daí o nome. A francesinha foi recentemente nomeada uma das 10 melhores sanduíches do mundo pela AOL, mas todos sabemos que a francesinha é muito mais que uma sanduíche…

 

Polvo à Lagareiro

Como o nome indica, é confeccionado com polvo cozido que em seguida, grelhado. É servido regado com azeite quente, onde deverão ter sido alourados alhos e pequenos pedaços de cebola. Como acompanhamento, são utilizadas batatas a murro. A expressão lagareiro designa um indivíduo que trabalha num lagar, na produção de azeite. É utilizada neste contexto devido à quantidade abundante de azeite que é usada para regar o polvo. Uma iguaria bem portuguesa.

 

Sardinhas Assadas na Brasa

Já em 1855, na exposição Internacional de Paris, as sardinhas de Setúbal alcançam uma menção honrosa, tendo a 15 de Janeiro de 2010 sido o primeiro pescado da União Europeia e da Península Ibérica a obter o rótulo azul com a certificação de sustentabilidade e boa gestão dos recursos piscatórios.

As sardinhas assadas, fruto de uma forte tradição piscatória, são um dos pratos mais saboreados da cozinha portuguesa, existindo inúmeras receitas para a sua confecção, sendo no entanto a mais utilizada a sardinha assada na brasa, um prato que aumenta exponencialmente de consumo durante as festas dos santos populares.

A melhor maneira de as confeccionar é preparando-as de véspera e temperando-as com sal grosso, colocando-as num grelhador duplo por cima das brasas, sem chama, assando em lume brando, normalmente acompanhadas com pimento assado também na brasa e bata cozida. Devem ser saboreadas colocando-se em cima de uma fatia grossa de pão que absorve a sua gordura natural.

PartilheShare on FacebookShare on Google+Share on LinkedInPin on PinterestEmail this to someonePrint this page

Deixar uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*